segunda-feira, 12 de março de 2012

Balanço Musical 2011 por Ulysses



Ulysses Caetano Braga, 19 anos, Técnico de Informática e Redes e estudante. Apaixonado por Rock n' Roll desde os 8 anos de idade, um dos organizadores do festival ROCK NAS ALTURAS realizado na cidade de Maria Da Fé - MG.





Olá, meu nome é Ulysses e a pedido da minha amiga Harumi estarei falando um pouco sobre meu gosto musical, como ele evoluiu e variou desde o ínicio de 2011 até agora.
Primeiramente, o que é a música? O que seria do meu, nosso mundo sem ela?
A ciência diz que a música é um conjunto de ondas sonoras que são chamadas de notas. Mas não é tão simples assim, nem todo conjunto de notas pode ser chamado de música (funk carioca é um exemplo perfeito), é muito mais que isso, envolve sentimentos. Seja lá quais forem eles: dor, amor, ódio... sem que haja um sentimento não há música, independente do estilo. 
Nós não seriamos nada sem a música. Não digo impossível, mas acho inválido um humano viver sem música, pois é a maneira mais sensata de se expressar, até mesmo os animais podem ser influenciados por ela. A música faz parte da nossa história, histórias de vidas, nações, de TUDO.

Enfim vamos ao que interessa, comecei 2011 ouvindo algo com mais pegada, talvez pelo fato de eu estar recomeçando os estudos em uma nova escola.  Então ouvia doses diárias de Arch Enemy, Claustrofobia, Norther entre outras bandas do estilo.
Por volta de Março, já tinha me adaptado a nova rotina escolar e prestes a começar em um novo emprego, então boa parte do tempo em que eu estava ouvindo algo, eram clássicos do Heavy Metal como: Metallica, Megadeth, Black Sabbath, Iron Maiden, Manowar, Overdose.
Abril foi uma época um pouco cansativa e cheia de reflexões então estava ouvindo coisas do tipo Pink Floyd, Lorena McKennit, Era, Vangelis. Coisas mais calmas e que me davam a vontade de “filosofar”, foi assim até meados de Maio. Em Maio eu estava na época “Rock n' Roll”, quase todos finais de semana, barzinho, cachaça com os amigos (não existe coisa melhor no mundo). Então não dava outra, era Led Zeppelin, Motorhead, AC/DC, Motley Crüe, Jimi Hendrix... Bandas que me dão vontade de “FUCK YEAH” se é que me entendem, continuei assim por um bom tempo.
Mas, foi em Junho que a coisa começou a ficar boa, véspera de Roça n' Roll (tradicional festival do sul de Minas), aquela dose de bandas nacionais como Angra, Sepultura, Shaman, Overdose, Volkana, Viper, Hangar além das bandas que iriam se apresentar no festival e uma em especial: DR. SIN, a minha banda brasileira predileta! Aliás, peguei uma baqueta do Ivan Busic, a maneira com aquela baqueta veio parar nas minhas mãos foi muito inusitada, mas isso é história para outra hora.
Passado o Roça n' Roll começou os preparativos para segunda edição de um festival que realizo na minha cidade, o Rock nas Alturas. Final de Junho até o começo de Dezembro, foi tudo ao mesmo tempo estresse, alegria, tristeza, alguns desapontamentos, mas não posso reclamar, sem sombra de dúvidas foi ótimo! Eu ouvia de TUDO um poco todos os dias, principalmente as bandas que iriam se apresentar no evento: Pleiades, Red Front, Spreading Hate, Red n' Black e Children of The Beast, o tempo passou MUITO rápido. Chegando em Dezembro, os nervos estavam à flor da pele. Muita expectativa (sinceramente nos 5 dias anteriores ao evento eu não conseguia ouvir nada). Passado o tão esperado dia 10 de Dezembro, foi tudo perfeito, o evento maravilhoso e um dos momentos mais gratificantes da minha vida. Desde então até o final de Janeiro ouvi muito Power Metal, após toda aquela correria e agitação nada melhor que viajar em algumas histórias e fantasias,  estava ouvindo coisas como: Blind Guardian, Helloween, Rhapsody of Fire, At Vance.
Há pouco, no começo de Fevereiro me dediquei um pouco mais ao Progressivo, ouvindo coisas como Shymphony X, Dream Theater, Kansas. Não sei porque, mas o Progressivo me faz analisar as coisas detalhadamente (tá, eu faço ideia de um porque). E finalmente AGORA, primeiros dias de Março mais uma vez projetando a próxima edição do Rock Nas Alturas, ainda continuo um pouco no Progressivo. O que é uma boa no momento, projetos tem que ser detalhadamente descritos e analisados; mas já me sinto migrando novamente às bandas "brazucas" afinal, Roça n' Roll tá aí de novo!


Bom pessoal, é isso. Não sei se consegui me expressar bem, não sou muito bom nessas coisas.
Gostaria de agradecer a equipe do Quimeras - MetalBlog pela oportunidade, que tem feito um trabalho excelente e impecável!


Aproveitar e fazer aquele Merchan...



Dúvidas, sugestões, críticas, favor entrar em contato: ulysses_sorvete@hotmail.com


By Ulysses

Um comentário:

  1. Mandou bem, kra!!! Texto tao bom quanto seu gosto musical. =D

    ResponderExcluir